l

Faculdade de Medicina da USP

Pós-graduado em Cirurgia Plástica pela FMUSP

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Posts Recentes
Seg - Sex: 08:30h - 17:30h Sábado e Domingo - FECHADO
Entre em contato
Atendimento Whatsapp
Consolação - São Paulo - Brasil
Image Alt

Lipoaspiração e Lipoescultura

A lipoaspiração tem como objetivo reduzir o volume da gordura corporal localizada, proporcionando um melhor contorno corporal. Caso o paciente esteja acima do peso ideal poderá ser recomendado o emagrecimento antes da cirurgia, pois os melhores resultados são obtidos com a retirada de gordura localizada. A remoção máxima de gordura não pode ultrapassar 5% a 7% do peso corporal. Cirurgias em grandes áreas e volumes têm maior probabilidade de deixar irregularidades.

Na lipoescultura, a gordura é retirada, purificada e concentrada. Após esse processo, utiliza-se a gordura como enxerto para aumentar ou modelar outras áreas como, glúteos, vincos da face, depressões da pele etc.

O cirurgião fará uma análise da elasticidade da pele, quantidade de gordura a ser retirada e um mapeamento para determinar as áreas que serão lipoaspiradas ou enxertadas, determinando assim o procedimento cirúrgico.

As cicatrizes da lipoaspiração são pequenas, de 5mm a 10mm, e ficam em áreas escondidas, como sulcos da pele, dentro do umbigo ou na marca do biquíni. Normalmente a anestesia utilizada é a geral. Vale lembrar que é o médico quem indicará a melhor anestesia para cada paciente. A cirurgia dura de 1 a 3 horas aproximadamente, e a internação pode chegar a 24 horas, a depender da recuperação do paciente.

Edema (inchaço) e hematomas são comuns nesse tipo de cirurgia, podendo causar desconforto. Por isso é utilizado dreno nos primeiros dias, que será retirado de acordo com a quantidade de secreção que está sendo drenada, e indicado o uso de cintas pós-operatórias ininterruptamente por 30 dias e após esse período alternadamente. E, tão fundamental quanto as medidas acima, o tratamento com drenagens linfáticas. Também é comum a falta de sensibilidade na região, que é causada pelo trauma da cirurgia, retornando gradativamente com o tempo.

Com a melhora da absorção do edema após o primeiro mês, é comum o aparecimento de áreas endurecidas e noduladas, provenientes de cicatrização interna (fibrose). A melhora desse aspecto ocorre até o sexto mês, período em que também ocorre a retração da pele, podendo ser indicado o uso de ultrassom no tratamento pós-cirúrgico fisioterápico.

A recuperação pós-cirúrgica ocorre em aproximadamente 7 e 15 dias e a retomada de atividade física leve poderá ocorrer por volta da terceira semana, dependendo da avaliação do cirurgião. O resultado final é atingido entre 6 e 12 meses de cirurgia, dependendo da resposta do organismo do paciente e dos cuidados pós-operatórios, como manutenção do peso corporal e tratamento pós-cirúrgico fisioterápico.